Seleção da Itália 1978 – Brasil Retrô – Você vestindo a história do seu time

Seleção da Itália 1978 – Brasil Retrô – Você vestindo a história do seu time.

Federazione Italiana Giuoco Calcio
Fundada em 1898
Endereço: Via Gregorio Allegri 14
CP 2450 – ROMA 00198 – Itália
Filiação FIFA: 1905
Filiação UEFA: 1954
Site: www.figc.it

A seleção de Itália fez o seu primeiro jogo no dia 15 de Maio de 1910, na Arena di Milano, vencendo a França por 6 a 2. Apesar da I Guerra Mundial ter levado à interrupção das atividades futebolísticas, o período do pós-guerra, que coincidiu com o mandato bem sucedido de Giorgio Vaccaro na presidência da FIGC, testemunhou o melhor momento da seleção da Itália. Os “azzurri” foram duas vezes campeões do Mundo – em 1934 e 1938 – orientados pelo treinador Vittorio Pozzo. Jogadores como Giuseppe Meazza e Eraldo Monzeglio brilharam em 1934, e Amedeo Biavati, Alfredo Foni e Silvio Piola em 1938. Também conquistaram a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1936.

No entanto, foi só com Artemio Franchi na presidência da FIGC, na segunda metade dos anos 60, que os “azzurri” voltaram às vitórias. Em 1968, a Itália venceu o Campeonato Europeu, uma seleção onde se destacavam Gianni Rivera, Sandro Mazzola, Gigi Riva, Dino Zoff e Giacinto Facchetti, sendo inclusive, finalista da Copa do Mundo de 1970, no México, quando perdeu para o Brasil. Depois, Franchi foi eleito presidente da UEFA.

Em 1982, a Itália sagrou-se tricampeã do Mundo, graças a uma geração talentosa de jogadores, da qual faziam parte Paolo Rossi, Dino Zoff, Claudio Gentile, Antonio Cabrini, Bruno Conti, Gaetano Scirea e Marco Tardelli. Oito anos depois, na qualidade de anfitriã, os “azzurri” foram eliminados pela Argentina nas oitavas-de-finais, no desempate através de grandes penalidades. Os penaltis voltaram a ser a desgraça da Itália na final do Mundial de 1994, nos Estados Unidos, quando Roberto Baggio e Franco Baresi “erraram as penalidades”, dando a vitória ao Brasil, e quatro anos depois, frente ao anfitrião francês, nas quartas-de-final. O “gol de ouro” da França, na final da Eurocopade 2000, foi outra final cruel. Ainda assim, depois de eliminações precoces no Mundial de 2002 e Eurocopa 2004, a nação festejou o quarto título mundial, cortesia dos comandados de Marcello Lippi, na Alemanha. Um plantel talentoso foi suportado por elementos-chave, como Gigi Buffon, Fabio Cannavaro, Francesco Totti, Alessandro Del Piero e Andrea Pirlo, e muitos deles vão defender, na África do Sul, o título conquistado.

Nas categorias menores, as seleções italianas venceram o Campeonato da Europa de Sub-21 em 1992, 1994, 1996, 2000 e 2004; os Sub-19 foram campeões europeus em 2003; os Sub-16 (agora Sub-17) triunfaram em 1982 e 1987; e o Torneio Internacional da UEFA, em 1958, também faz parte dos títulos. Entretanto, a nível de clubes, os emblemas transalpinos somam 43 troféus nas competições europeias. O AC Milan lidera, com 17, seguindo-se Juventus (11), FC Internazionale Milano (sete), Parma FC (quatro), S.S. Lazio (dois), e SSC Napoli e AC Fiorentina (um).

Influência italiana

A Itália tem estado frequentemente na vanguarda do futebol europeu, graças aos seus jogadores, clubes e treinadores – Vittorio Pozzo, Fulvio Bernardini, Ferruccio Valcareggi, Enzo Bearzot, Azeglio Vicini, Arrigo Sacchi, Cesare Maldini, Dino Zoff, Giovanni Trapattoni, Roberto Donadoni e Marcello Lippi, entre outros -, que tiveram uma profunda influência no desenvolvimento da modalidade.

 

Anúncios