História do Clube de Regatas Flamengo

papel-de-parede-do-flamengo-10

CLUBE DE REGATAS FLAMENGO
Fundado em 17/Novembro/1895
End.: Av. Borges de Medeiros, 997
Lagoa (Gávea) – Rio de Janeiro/RJ CEP 22.430-040
Estádio da Gávea – capacidade: 8.500 pessoas
Site: www.flamengo.com.br

História do Mengão

A grande história do “Rubro Negro” teve inicio a partir da ideia de criação do esporte mais praticado no inicio do seculo passado – o remo.

Os remadores – José Agostinho Pereira da Cunha, Mário Spindola, Nestor de Barros, Augusto Lopes, José Félix da Cunha Meneses e Felisberto Laport – resolveram comprar um barco. O escolhido foi um já velho, porém adequado às finanças disponíveis. Este barco ganhou o nome de “Pherusa”.

Dias depois (06/10), os jovens remadores foram dar a primeira volta, partiram da praia de Maria Angu (atual Ramos) até a praia do Flamengo. No caminho a forte tempestade virou a embarcação e os náufragos tiveram que se segurar no que restou da Pherusa.

Mas o grupo estava disposto a recuperar a embarcação e iniciaram uma reforma. Quando estava quase pronta foi roubada e nunca mais vista. Mas o entusiasmo em fundar um grupo de regatas não desapareceu. Os jovens decidiram comprar outro barco. George Lenzinger, José Agostinho, José Félix e Felisberto Laport entraram na história, juntaram o dinheiro necessário e compraram o Etoile, de Luciano Gray, logo batizado de Scyra e registrado na Union de Canotiers.

Assim, à 17 de novembro de 1895, no casarão de Nestor de Barros, número 22 da Praia do Flamengo, onde era guardada a Pherusa e depois a Scyra, foi fundado o Grupo de Regatas do Flamengo e, com ele, eleita a sua primeira diretoria: Domingos Marques de Azevedo, presidente; Francisco Lucci Colás, vice-presidente; Nestor de Barros, secretário; Felisberto Cardoso Laport, tesoureiro.

Assinaram ainda, a presente ata, como sócios-fundadores, José Agostinho Pereira da Cunha, Napoleão Coelho de Oliveira, Mário Spíndola, José Maria Leitão da Cunha, Carlos Sardinha, Eduardo Sardinha, José Felix da Cunha Menezes, Emygdio José Barbosa (ou Emygdio Pereira, ou ainda Edmundo Rodrigues Pereira, hà controvérsias) Maurício Rodrigues Pereira, Desidério Guimarães, George Leuzinger, Augusto Lopes da Silveira, João de Almeida Lustosa e José Augusto Chalréo, sendo que os três últimos faltaram à reunião, mas assinaram a ata dias depois e receberam o título.

No encontro, foi acordado que a data oficial seria a de 15 de novembro, pois no aniversário do Flamengo sempre seria feriado nacional (Dia da Proclamação da República), e que as cores oficiais seriam azul e ouro, em largas listras horizontais.

O FUTEBOLA partir do início do século XX, o futebol começava a disputar popularidade na cidade do Rio de Janeiro com o remo. Mas, como o clube rubro-negro não dispunha de departamento de esportes terrestres, seus sócios eram obrigados a acompanhar o Fluminense também, pois em Laranjeiras havia um time para torcer.

O maior exemplo desta divisão era Alberto Borgerth. Pela manhã, era remador no Flamengo. À tarde, representava o Fluminense no futebol. Os torcedores, sem opção para acompanhar os dois esportes em um só clube, seguiam o mesmo comportamento, dividindo-se na paixão clubística.

O Flamengo, então, começou a dar os seus primeiros passos no nobre esporte bretão. No primeiro amistoso, realizado dia 25 de outubro de 1903 no Estádio do Paissandú Atlético Clube, perde do Botafogo por 5 a 1, com a seguinte formação: G.V. de Castro, V. Fatam, H. Palm, Sampaio Ferraz, A. Gibbons (capitão), L. Neves, C. Pullen, M. Morand, A. Vasconcelos, D. Moutinho e A. Simonsen, com os reservas M. Gudin e A. Furtado.

Uma curiosidade é que o time de futebol não entrava em campo com o uniforme oficial do Flamengo. No primeiro jogo, vestiu camisas brancas e shorts pretos. Depois, foi obrigado a usar o Papagaio de Vintém e a Cobra Coral. O esporte era malvisto pelo remo rubro-negro e, por isso, o clube só se filiou à Liga Metropolitana de Futebol – criada em 1905 – em 1912, depois do ingresso dos ex-tricolores, ficando cerca de nove anos disputando somente amistosos.

A Oficialização do Futebol

O futebol do Flamengo é dissidente do Fluminense. Em 1911, o tricolor estava às vésperas do título carioca, mas, atravessava grave crise interna.

O capitão do time, Alberto Borgeth (o mesmo que remava pelo Flamengo), se desentendeu com os dirigentes e, depois de conquistado o campeonato, liderou um movimento de saída das Laranjeiras.

Dez jogadores campeões deixaram o Fluminense: Othon de Figueiredo Baena, Píndaro de Carvalho Rodrigues, Emmanuel Augusto Nery, Ernesto Amarante, Armando de Almeida, Orlando Sampaio Matos, Gustavo Adolpho de Carvalho, Lawrence Andrews e Arnaldo Machado Guimarães.

Dia 8 de novembro, foi aprovado o ingresso dos novos sócios. Os remadores do Flamengo, porém, não eram favoráveis à dedicação oficial do clube rubro-negro ao futebol, caso que estava sendo analisado por uma comissão da qual o líder era justamente Alberto Borgerth. Mas não teve jeito mesmo. Em assembléia realizada no dia 24 de dezembro de 1911, o Flamengo criou oficialmente o seu time de futebol, sob a responsabilidade do Departamento de Esportes Terrestres.

Pesquisas de Sidney Barbosa da Silva
Fonte: Arquivo Campeões do Futebol e flamengo.com.br


Todas as Conquistas
Titulos
Competição Ano
Copa Intercontinental 1981
Taça Libertadores da América 1981
Copa Mercosul 1999
Copa Ouro Sulamericana 1996 (Invicto)
Campeonato Brasileiro 1980, 1982, 1983, 1992 e 2009
Copa União 1987
Copa do Brasil 1990 (Invicto) e 2006
Copa dos Campeões 2001
Taça Brahma dos Campeões 1992
Torneio Rio-São Paulo 1961
Copa dos Clubes Brasileiros Campeões Mundiais 1997 (Invicto)
Campeonato Carioca 1914, 1915 (Invicto), 1920 (Invicto), 1921, 1925, 1927, 1939, 1942, 1943, 1944, 1953, 1954, 1955, 1963, 1965, 1972, 1974, 1978, 1979 (Invicto), 1979, 1981, 1986, 1991, 1996 (Invicto), 1999, 2000, 2001, 2004, 2007, 2008 e 2009
Torneio Inicio do Carioca 1920, 1922, 1946, 1951, 1952, 1959.
Taça Guanabara 1970, 1972 (Invicto), 1973 (Invicto), 1978, 1979, 1980 (Invicto), 1981, 1982, 1984, 1988, 1989 (Invicto), 1995, 1996 (Invicto), 2001, 2004 e 2007
Taça Rio de Janeiro (2° turno do Estadual) 1978 (Invicto) Obs.: não confundir com Taça Rio, criada em 1982.
Taça Rio (2° turno) 1983, 1985 (Invicto), 1986, 1991 (Invicto), 1996 (Invicto), 2000 e 2009.
Campeonato da Capital 1991 (Invicto)
Taça Estado do Rio de Janeiro 1991 (Invicto)
Torneio Extra do Rio de Janeiro 1934 (Invicto)
Torneio Aberto do Rio de Janeiro 1936 (Invicto)
Torneio Relâmpago do Rio de Janeiro 1943 (Invicto)
Torneios Internacionais
Quadrangular de Lima (Peru)
Quadrangular da Argentina
Quadrangular de Israel
Hexagonal do Peru
Octogonal de Verão
Quadrangular da Tunisia
Troféu Naranja (Espanha)
Quadrangular do Marrocos
Ciudad Palma de Mallorca/ESP
Toféu Ramon de Carranza (ESP)
Ciudad de Santander (ESP)
Copa Punta del Este (URU)
Torneio de Nápolis (ITA)
Torneio Air Gabon (Gabão)
T. Internacional de Angola
Copa Kirin (Japão)
Troféu Colombino (ESP)
Copa do Porto de Hamburgo (ALE-Oc.)
Copa Marlboro (EUA)
Taça Libertad (ARG)
Pepsi Cup (Japão)
Torneio See’94 (Malasia)
Triangular do R. de Janeiro (BRA)
T. Gilberto Cardoso (RJ-BRA)
Torneio Inter. de Verão (RJ-BRA)
1952
1953
1958
1959
1961
1962
1964 e 1986
1968
1978
1979 e 1980
1980
1981
1981
1987
1987
1988
1988
1989
1990
1993
1994
1994
1954
1955
1970 e 1972
Torneios Nacionais/Estaduais
Triangular de Curitiba (PR)
Triangular de Goiás
Quadrangular do Espirito Santo
Torneio do Povo
Torneio de 320 de Judiaí (SP)
Torneio Elmo Serejo (DF)
T. de Inauguração do Estádio José Fragelli (Cuibá/MT)
Quadrangular de Varginha (MG)
Torneio Cidade de Brasilia (DF)
Taça Madame Gaby Coelho Netto
Troféu América Fabril
Quadrangular de Goiás (GO-BRA)
1953
1965
1965
1971
1975
1976
19761990
1997
1916
1919 e 1922
1975
Taças em uma única Partida
Taça Ponto Frio (BRA) » Veja
Taça Libertad (ARG)
Pepsi Cup (Japão)
1957

1993
1994

HINO OFICIAL

Letra e música: Paulo Magalhães (ex-goleiro do Clube). Foi criado em 1920 e gravado pela primeira vez em 1932 pelo cantor Castro Barbosa, foi registrado somente em 1937 no Instituto Nacional de Música.

Flamengo, Flamengo
Tua glória é lutar!
Flamengo, Flamengo
Campeão de terra e mar

Saudemos todos com muito ardor
O pavilhão do nosso amor
Preto e encarnado, Idolatrado
Dos mil campeões, do vencedor

Flamengo, Flamengo
Tua glória é lutar!
Flamengo, Flamengo
Campeão de terra e mar

Lutemos sempre com valor infindo
Ardentemente, com denodo e fé
Que o seu futuro inda será mais lindo
Que o presente
Que tão lindo é

HINO POPULAR

Letra e música: Lamartine Babo
Gravado pela primeira vez por Gilberto Alves em 1945, o Hino não-oficial é o consagrado pela nação rubro-negra, que o canta emjogos e conquistas do Flamengo.

Uma vez Flamengo,
Sempre Flamengo.
Flamengo sempre eu hei de ser
É o meu maior prazer
Vê-lo brilhar
Seja na terra,
Seja no mar.

Vencer, vencer, vencer
Uma vez Flamengo,
Flamengo até morrer!

Na regata, ele me mata,
Me maltrata, me arrebata
De emoção, no coração
Consagrado, no gramado
Sempre amado, o mais cotado
nos Fla-Flus é o ai Jesus

Eu teria
Um desgosto profundo
Se faltasse,
O Flamengo no mundo.

Ele vibra, ele é fibra
Muita libra já pesou
Flamengo até morrer Eu sou..


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s