‘Na Copa do Brasil será outra situação’, garante Levir

levir-5982754328

Na prévia do confronto das quartas de final da Copa do Brasil, o Atlético-MG foi a São Paulo na última quinta-feira e caiu por 1 a 0 diante do Corinthians, pela 20.ª rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico Levir Culpi, no entanto, garantiu que o resultado não tem nenhuma relação com o que acontecerá na Copa do Brasil e afirmou: “Será outra situação”.

“Na Copa do Brasil é outra situação, o elenco do Corinthians talvez seja diferente para o jogo, o do Atlético-MG também pode ser diferente. Então, são várias situações que podem acontecer até lá. O que posso dizer é que vai ser um jogo parecido com esse. A gente espera fazer um bom jogo e ter mais sorte do que hoje”, declarou após o apito final.

De fato, a longa lista de desfalques para o jogo da última quinta pode ser reduzida para os confrontos da Copa do Brasil, uma vez que nomes como Pierre e Josué têm lesões que parecem menos graves e podem voltar para as partidas dos dias 1.º, no Itaquerão, e 15 de outubro, no Mineirão.

O que também pode mudar é o ataque atleticano. Jô completou 19 jogos sem marcar pelo time mineiro na última quinta-feira e a insatisfação da torcida com ele só aumenta. O próprio Levir Culpi já admite a possibilidade de tirá-lo da equipe, até para amenizar esta pressão.

“Sobre o Jô, é um problema quando a bola não entra. Ele não tem jogado tecnicamente mal, tem aproveitado, feito boas jogadas inclusive, mas a bola não está entrando. É aquela história, a gente vai mexendo. Às vezes é melhor tirar para o jogador ter um certo respiro. Às vezes você insiste e ele começa a fazer gols, então não existe uma receita. A cada jogo fico pensando uma coisa e vamos ver para o próximo jogo”, disse o técnico.

Fonte: https://br.esporteinterativo.yahoo.com/noticias/copa-brasil-ser%C3%A1-outra-situa%C3%A7%C3%A3o-garante-levir-122100930–spt.html

Cruzeiro toma susto contra o Bahia, mas reage e vira no Mineirão

a2fece90-3a20-11e4-8591-85a1e01f69f9_gazeta-press-foto-686127

Cruzeiro virou o jogo e manteve invencibilidade no Mineirão

Líder e lanterna se enfrentam e confirmam suas posições na tabela: Cruzeiro dispara em primeiro e Bahia permanece em último

Líder com sobras do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro entrou em campo nesta quinta-feira, no Mineirão, para enfrentar o lanterna Bahia, em jogo que parecia ser tranquilo para a Raposa. Após o apito inicial, porém, o que se viu foi um confronto difícil e com os baianos abrindo o placar, com os cruzeirenses chegando a virada em 2 a 1 somente no segundo tempo, e contando com uma expulsão do Bahia.

 A exclusão de Titi foi decisiva para o Cruzeiro somar a oitava vitória em oito jogos no Mineirão. O volante Rafael Mirada abriu o placar para o Tricolor, mas Everton Ribeiro, em cobrança de pênalti, e Ricardo Goulart decretaram o triunfo da Raposa. Os celestes chegam aos 46 pontos, sete de vantagem em cima do vice-líder São Paulo, deixando o Bahia na lanterna com apenas 17 pontos.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro terá compromisso contra o São Paulo, vice-líder da competição, jogo marcado para o próximo domingo, no Morumbi. Já o Bahia segue na briga para escapar da degola e vai receber o Figueirense, também no domingo, no estádio Joia da Princesa.

O jogo – Jogando em casa, o Cruzeiro iniciou o duelo pressionando o Bahia, e logo aos cinco minutos o zagueiro Manoel desviou cobrança de escanteio pela esquerda e acertou a trave de Marcelo Lomba. Diferentemente dos adversários que enfrentam a Raposa no Mineirão, os baianos conseguiram contra-atacar em alguns momentos, dando sustos na defesa celeste.

De maneira geral, o domínio das ações foi quase que totalmente do Cruzeiro que, devido o volume ofensivo, acabou obrigando o Bahia a recuar cada vez mais as linhas de marcação. Apesar de jogadores rápidos no ataque, faltou um armador no meio-campo da equipe de Gilson Kleina, o que forçou a defesa a arriscar a ligação direta para os atacantes.

Em uma dessas ligações, Rafinha conseguiu arrancar em lance individual e rolou para Maxi, que finalizou cruzado, quase surpreendendo Fábio. Mesmo atuando improvisado pela esquerda, o lateral-direito Ceará conseguiu fazer boas jogadas e ainda tentou alguns chutes de longa distância, tornando-se uma boa opção para o Cruzeiro na maior parte do jogo.

Apesar das investidas ofensivas, o Bahia se dedicou muito à marcação atrás da linha da bola, dificultando as ações do time mineiro, que usou bastante os lances de bola parada como alternativa. Aos 26, Lucas Silva mandou um verdadeiro petardo em cobrança de falta, que explodiu no travessão de Marcelo Lomba.

Perigoso quando chegava ao ataque, o Bahia surpreendeu no Mineirão aos 29 em ótima trama ofensiva, que terminou com cruzamento de Guilherme Santos para o volante Rafael Miranda aparecer como elemento surpresa e mandar no canto esquerdo de Fábio, abrindo os trabalhos no Gigante da Pampulha. O Cruzeiro sentiu o gol, enquanto o Bahia ganhou confiança e não mudou a postura mesmo com vantagem no marcador.

Como era de se esperar, o Cruzeiro voltou com tudo para o segundo tempo, e logo no comecinho conseguiu um pênalti, que acabou gerando a expulsão do zagueiro Titi, que deixou os celestes em condição bem favorável na partida. Everton Ribeiro foi cobrança da penalidade e deslocou Marcelo Lomba para deixar tudo igual no placar.

Com vantagem no número de atletas em campo, Marcelo Oliveira sacou um volante para a entrada do atacante Dagoberto, com a ideia de promover uma blitz para cima do Tricolor em busca da virada. Os mineiros realmente passaram a atacar bastante, mas as linhas de marcação do Bahia, bem compactadas, não deram moleza para os atacantes do Cruzeiro.

Em jogadas esporádicas, os visitantes ainda conseguiram criar alguns lances de perigo, mas o cansaço ficou evidente. Aos 26, o inevitável aconteceu, e o Cruzeiro virou o jogo com Ricardo Goulart, aproveitando a ajuda de Marcelo Moreno, que atuou com pivô, ajeitando para o companheiro finalizar. Com o 2 a 1, os donos da casa diminuíram o ritmo e, mesmo criando mais, não conseguiram ampliar.

Fonte: https://br.esporteinterativo.yahoo.com/noticias/cruzeiro-toma-susto-contra-o-bahia–mas-reage-e-vira-no-mineir%C3%A3o-020428836.html

Há exatos 26 dias para o início da Copa do Mundo no Brasil, você já está no rítmo? Todos sabemos que adquirir uma camisa oficial do Brasil pela pequena bagatela de R$250,00 não está nada fácil. Sim, a amarelinha é linda, mas temos algumas várias opções e a que vamos mostrar são as Retrôs.

Uma camisa retrô sai em média R$79,00 na Brasil Retrô e contam com um tecido de linha que resgatam aquela nostalgia dos velhos tempos. Essas camisas retrô realmente dão um toque de elegância e se destacam na multidão e nos estádios.

Você sabia que a primeira camisa que o Brasil vestiu em Copas do Mundo era branca e azul? Sim, essa relíquia foi resgatada na Camisa Retrô do Brasil de 1914. Outros modelos que trazem bastante história são as Camisas Retrô de 1958, 1962, 1978 e 1982. Outros modelos que não foram usados, mas agradam bastante o público como as camisas com cordinha e a de 5 estrelas são maravilhosas.

Agora você deve estar se perguntando, e a Camisa Retrô da Copa de 1970? Sim, propositalmente a deixamos por último. A camisa de 1970 tem um grande peso, uma camisa simples, escudo bordado, fio 100% acrílico e número 10 em feltro, vestida pelo Pelé. Uma relíquia e a mais procurada e cobiçada. Ela está disponível na Brasil Retrô.

Veja abaixo as fotos de todas as camisas que citamos:

Camisa Retrô do Brasil c/ Cordinha Amarela

Camisa Retrô do Brasil c/ Cordinha Amarela

Camisa Retrô do Brasil de 1986

Camisa Retrô do Brasil de 1986

Camisa Retrô do Brasil de 1982

Camisa Retrô do Brasil de 1982

Camisa Retrô do Brasil de 1978

Camisa Retrô do Brasil de 1978

Camisa Retrô do Brasil 5 estrelas

Camisa Retrô do Brasil 5 estrelas

Camisa Retrô do Brasil de 1914

Camisa Retrô do Brasil de 1914

Camisa Retrô do Brasil de 1958

Camisa Retrô do Brasil de 1958

Camisa Retrô do Brasil de 1962

Camisa Retrô do Brasil de 1962

Camisa Retrô do Brasil de 1970

Camisa Retrô do Brasil de 1970


E aí? Com que roupa eu vou?